É RIDÍCULO SER INTELIGENTE NO BRASIL

O Brasil nunca foi um país tão dividido politicamente como se encontra atualmente, com a destilação de ódio vivo por parte de algumas pessoas que acreditam piamente que compreendem a política, que compreendem como funciona uma democracia representativa, aonde quem vence governa necessariamente para todos, e quem perde deve respeitar as vozes das urnas e voltar a trabalhar para em próximas eleições convencer a maioria e vencer "nas urnas".

Do mesmo modo, quem vence nas urnas deve necessariamente administrar a coisa pública pensando também em quem perdeu, necessariamente governar para o conjunto da sociedade. Nesse sentido, compreendemos que necessariamente houve quem formasse a opinião do ódio na sociedade desse modo como se encontra, porque o ódio social não nasce do acaso e da coincidência, porque isso principalmente em política não existe.

Percebe-se um fenômeno também bastante claro, o ódio destilado está presente hoje em todas as correntes e matizes ideológicas, porém parece que ele está mais presente em uma camada social que faz parte da classe mais instruída da sociedade brasileira, a classe média, que em tese deveria não se influenciar por comportamentos ridículos que antes ela mesma não tinha.

Provando o discurso de Horkheimer de que "os inteligentes sempre facilitam as coisas para os bárbaros, porque são tão estúpidos", são exatamente alguns inteligentes que são os mais manipulados pela imprensa tradicional, que foi o principal instrumento para a construção desse ódio na sociedade brasileira, que é uma democracia em que o poder político nasce do voto popular, e ninguém, absolutamente ninguém, é diferente e nem maior que o outro, pois todos os cidadãos têm unicamente um voto para dá, e deve ser respeitado.

Nenhum comentário: