LEUR LOMANTO DIZ QUE ATAQUE DE WAGNER É PARA FUGIR DE QUESTÕES DA LAVA JATO

O líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), Leur Lomanto Jr., saiu em defesa do ex-governador Paulo Souto (DEM) quanto à declaração do ex-governador Jaques Wagner (PT) de que empreiteira Odebrecht tinha influência na gestão do demista, em especial na assinatura de uma PPP para construção do emissário da Boca do Rio.

“Essa tem sido ao logo da história a estratégia deles [do PT], partir para o ataque, trazer coisas do passado que já não fazem sentido, fugindo de responder perguntas claras sobre operação da Lava Jato que envolvem seu nome em atos de corrupção”, afirmou Leur, em entrevista ao programa se liga Bocão, na Itapoan FM, nesta terça-feira (9).

Segundo ele, o comportamento esquivo é repetido por governista da Alba toda vez que fazem menção ao governo federal.

“É uma cara de pau tentar colocar que os problemas enfrentados hoje começaram a partir de agora. Vejo aqui os colegas petistas falarem que Temer é o responsável pelos 13 milhões de desempregados e pela crise ética no país”.

“O maior esquema de corrupção foi feito pelo PT. Quase conseguiram quebrar a maior empresa do país, a Petrobras”, acrescentou.


“O que ele [Jaques Wagner] precisa explicar é essa questão da Cerb, essa negociata que foi feita, que o delator disse claramente, é que foi realizado um acordo para que o governo da Bahia pagasse uma dívida que a Odebrecht tinha com a empresa Cerb e que se o governo pagasse o PT ia receber R$ 30 milhões para ser aplicados na campanha”, lembrou.

Nenhum comentário: