GUERRA DOS PODERES

O que era para ser uma gestão de mudanças e de avanço para a cidade, está se transformando em uma guerra dentro do QG dos “cumistas”. Tudo começou com a escolha de nomes para ocuparem cargos no primeiro escalão.

Pois bem, imaginava Cuma que navegaria em águas calmas, e com isso não sabia que por trás das cortinas se trava um duelo pra ver quem manda mais. De um lado Fernando Cuma e a família, do outro os Pereira Araújo, que no momento é quem dar as cartas. Segundo uma fonte ligada aos dois lados, um membro de uma só família possui cargos que pode chegar até 5 mil reais. E os cargos são dividido para esposa, cunhada, e pessoas mais próxima, sendo que ao receber o pagamento essa pessoa pega sua fatia. Afastaram Maria Rezadeira para o Settrans, porque segundo informações, ela e a dama de ferro já não falam mais a mesma língua. 

Com acusações de lado a lado, centenas de comentários inundaram as redes sociais atacando o Prefeito Cuma, inclusive sobre o nepotismo, com adjetivos de baixo calão, e isto até de pessoas que marchou com ele na campanha. Já está tendo uma revolta muito grande de pessoas ligadas ao Prefeito Cuma, Muitos dizem que ele perdeu o jeito grosseiro de governar.

O que está acontecendo nos bastidores da Prefeitura é uma vergonha do tamanho da classe política que temos que aturar.

Diante dos acontecimentos, nasceu aí, antes mesmo do novo prefeito sentar na cadeira de prefeito, o primeiro impasse. Contratar as velhas raposas para colocar na porta do galinheiro. Afinal quem manda mesmo nessa pocilga? 

2 comentários:

Anônimo disse...

Nessa pocilga nao tem lugar para um porco como voce, senão vira MATILHA.

Anônimo disse...

Contratados desesperados na prefeitura de Itabuna

O prefeito Fernando Gomes decretou sessenta dias de emergência, mas parece que a única emergência é somente aquela em realizar o tão prometido carnaval pra sanar o povão de baixa cultura.
Já na prefeitura municipal de Itabuna, servidos não efetivos estão trabalhando contando com a sorte, sem ter nenhuma garantia de que irá ou não receber pelos pesados serviços de coleta de lixos e de limpeza nas salas e gabinetes dos arrogantes secretários.
Em momento algum o secretário de administração convocou servidores para contratar em regime de emergência.
Diversos pais de família entregues à sorte e a boa vontade de um governo atrasado, onde até mesmo não há porteiros e mesmo a guarda municipal não direciona os estacionamentos.
Por fim, a única emergência do coroner Cuma, é quebrar rotatória e aumentar o número de mortos no tal carnaval dos tolos.

Agente. "F"