MANOBRAS E INTERESSES


A política itabunenense deu o primeiro passo mudando 14 Vereadores. Agora a briga é outra “a Mesa Diretora da Câmara”.

Em uma disputa acirrada, os dois grupos se manifestam em um frenesi e um êxtase total. Há muitas trocas de acusações e muita gula pela mesa. “Esta Câmara é uma nojeira. Isso aqui não presta não, tem que mudar!”. Disse um edil novato semi-analfabeto se referindo a mesa.

Cogitados para serem candidatos a presidência da Casa, em um grupo tem os seguintes Vereadores: Chico Reis, Junior Brandão, Babá Cearense, Beto Dourado, e Ricardo Xavier. No outro grupo tem: Ronaldão Antonio Cavalcante e Aldenes Meira. Há quem diga que alguns novatos permanecerão canelas secas.

A disputa da Mesa Diretora, ganhou um novo e inesperado capítulo. A rejeição das contas de três Vereadores. A notícia foi recebida com certa perplexidade pelo chamado Grupo dos 12, que ainda não sabem qual será a decisão da justiça. Até mesmo o atual presidente, vereador Aldenes Meira, se disse surpreso com a rejeição.

Segundo boatos de bastidores, tem suplentes entrando na Justiça pedindo a anulação da diplomação dos três Vereadores que estão com as contas rejeitadas pela Justiça Eleitoral. A população atribui mais esse episódio a um jogo inexplicável de interesses, que podem levar a Câmara a ser mais um desastre administrativo. A quem diga que a eleição da mesa não passa de uma massa de manobra orquestrada sob a influência do prefeito eleito.

Eu gostaria de dizer para esses “Vereadores” de Itabuna: Vocês foram eleitos para trabalhar em prol do povo e não em interesse próprios. Essa casa se tornou um verdadeiro SACO DE GATO. Nesse jogo tem muita gente(vereadores) ganhando muito por baixo dos panos. O que temos visto na Câmara de Vereadores é uma afronta ao Regimento Interno. Há muito dinheiro em jogo no orçamento da Câmara de 2017 a 2020. Então, estamos falando de jogo de poder. Para serem bem cínicos, usam os redes sociais da forma que for necessário para auto se promoverem. A gente sabe que o jogo do poder político não segue regras, a não ser as regras das circunstâncias R$R$. É o que está acontecendo agora, e vai acontecer na próxima e em todas as legislaturas, até o dia em que tivermos uma reforma política. Alguns Cumistas dizem que o Prefeito eleito não intercederá na escolha da mesa diretora. Eu quero é prova. Em nenhuma época, um chefe de executivo deixou de interferir na Mesa Diretora, até por uma questão de sobrevivência dele no cargo. O que varia é a forma como interferem. Alguns interferem diretamente e criam grandes problemas; outros interferem sutilmente.

Essa eleição está nesse impasse por causa do jogo de interesse nas verbas destinadas a casa, se o novo presidente não for do time de CUMA, vai ver o tanto de coisas erradas que vai acontecer. Salvem quem puder!


Nenhum comentário: